sexta-feira, 21 de março de 2014

Capítulo 32 - Invasão (Parte 6) - O Touro De Cedros

C
om a batalha entrado em sua etapa final, Argonis percebe a ausência de Minus e começa a procurá-lo no campo de batalha ignorando os corpos pois tinha plena certeza de que ele não estava entre eles, subia a encosta por entre árvores onde e encontrou-se com Neflin, que vinha das sombras ofegante e coberto de sangue, de certo acabara de matar alguém forte, pelo menos o suficiente para cansá-lo.
Os dois subiram a encosta, passaram por entre arbustos e se depararam com Minus caído no chão, com muito sangue ao redor. Neflin fez movimento de ir em sua direção, mas foi impedido por Argonis, que levou o dedo a boca pedindo silêncio.
- Você é um cultuador, feche os olhos e tente ouvir.
- Ouvir o que?
- O Coração de Minus.
-... Está parado. Espere, está voltando a bater, está fraco, mas está batendo cada vez mais forte, está batendo tão forte que parece ecoar... Espere, não é eco... Parece... Um outro coração?
- Abra os olhos.
Neflin vê a respiração forte de Minus e percebe que seu corpo parece quente, pois está ficando vermelho, como se uma ira o tomasse e passasse por suas veias, aquecendo-o a ponto de termos a impressão de que saía um vapor da pele dele, um vapor quase esverdeado. Artegon abriu os olhos e a boca sem a mínima reação a não ser de total e emudecedor espanto.
- Este é Artegon, tutor de Dort e um dos dois únicos discípulos de Magash, o turbilhão de lâminas. Ele é capas de matar um exército inteiro sem ser tocado.
- Dois?
- Sim, o outro discípulo de Magosh foi Minus.
O vapor começa a sair das feridas de Minus que ainda está no chão, seu suor e calor dão a impressão de que ele brilha. O vapor sai das feridas e elas aos poucos se fecham, até que desaparecem sem deixar cicatriz. E a voz de Minus emana do nada:
- Não pensei que fosse precisar disso tão cedo. - Um sorriso doentio e sarcástico toma o rosto de Minus. Seu braço enfaixado parece latejar, mas permanece baixo. O antigo olhar calmo dá lugar a um olhar sinistro e desconhecido.
- Acho que... - não é mais a voz de Minus - seus olhos devem ter um gosto interessante... Hihihi.
Antes que o ágil Artegon pudesse se mover, Minus estava do seu lado, seu sorriso estava diante dos olhos do Grande tutor de Dort, este que sentiu uma mão entrar em seu abdômen e tatear seu coração antes de puxá-lo para fora e sua visão faltar.
- Humm. Mas o coração deve ser mais delicioso que os olhos.
Do escuro Neflin observava atônito enquando Minus lambusava-se do sangue que ainda pulsava no coração. Até que Argonis, rompendo o silêncio, disse:
- Esse é Minus, o Touro de Cedros.

quinta-feira, 13 de março de 2014

Capítulo 31 - Cuga, Revelações Póstumas



A
Morte não é justa com ninguém, nunca se espera morrer um dia, até que se morre, nunca esperamos que coisas realmente ruins aconteçam conosco, até que acontecem.
       O que sei sobre a inquisição foi o que ouvi dos meus pais, que ouviram dos pais deles. Ouvi que a inquisição matou muitos de nós, Cultuadores da lua, após a inquisição muitos ainda permaneceram em meio a civilização humana, esses tornaram-se excluídos perante os homens para cuidar da arca que contem a sabedoria dos Cultuadores, por isso foram chamados Cultuadores Arcanos.
       Outro grupo, porém se refugiou nas florestas para estudar magia e a cultura da lua, estes foram chamados Cultuadores tribais, como eu, Cuga, que nasci em uma aldeia de Cultuadores tribais xamãs.
       Logo cedo me destaquei como um gênio na Magia Xamã, a magia de invocar espíritos, percebi que podia invocar espíritos de animais protetores da floresta para me ajudar em combate, o que me ajudou também a entrar no Exército do Leão como exímio assassino. Mas meu objetivo era bem mais obscuro, eu queria vingança, queria o sangue e as vísceras de Gordon em minhas mãos, queria a vida do único que podia impedir a inquisição e permaneceu inerte.
       Depois de morrer percebi muitas coisas, mas outras perguntas vieram à tona, principalmente sobre a origem da minha espécie. Mas a resposta para a origem dos Cultuadores pode estar em um cultuador solitário, um renegado, em um... Neflin.

quinta-feira, 6 de março de 2014

Capítulo 30 - Invasão (Parte 5) - Minus X Artegon

A
grande batalha chegava próxima do seu ápice, de um lado do acampamento homens se enfrentavam, suor e sangue banhavam o chão, no exato momento em que o ultimo grupo entrava no acampamento comandado por Zorf, entravam como bárbaros, ateando fogo e destruindo o que restava, alguns soldados inimigos ainda tentavam lutar, mas não havia mais vontade nem força neles, alguns vinham como mortos-vivos sem saber ao certo porque lutavam e outros apenas esperavam ser mortos, o orgulho dos guerreiros do leão era maior do que o medo da morte, sabiam que se perdessem tinham que ser mortos e seus antigos companheiros agora com lenços brancos sabiam de seu dever, por mais que doesse em seus corações, tinha que ser feito.
       Minus um pouco cansado ainda da luta com o arqueiro Sirt agora se dirigia ao topo da colina na qual estava seu objetivo: Dort, o Mor-Grão General do moribundo Exército do Leão. Mas andando... Um rico no ar... E uma pequena lâmina, tão fina quanto uma agulha, penetra em sua perna, exatamente no músculo principal da cocha.
- Exatamente no centro do Reto Femural – Observou Minus, percebendo sua cocha perder parte do movimento – Só há uma pessoa com essa precisão e inteligência no exército do Leão, Artegon, O discípulo de Magosh, o turbilhão de lâminas.
- Fico espantado que saiba tanto sobre mim, já que sei tão pouco de você, Minus de Cedros, O Touro. – O rosto macho e pálido saiu por detrás das árvores com um sobre tudo de cores mortas e cabelo bem penteado.
- O pouco que tenho ao meu favor nessa guerra é IMFORMAÇÃO.
- Realmente deve saber muito caro soldado.
- Não sou um soldado.
- O que é então?
- Apenas alguém que sabe demais.
- Se sabe o bastante deve saber que pessoas assim, não permanecem muito tempo vivas. A não ser que...
- A não ser que saibam usar essas informações rápido o suficiente para dominar todo o poder ao seu redor.
- Hiahahahah! Você acha que deterá algum poder? Quem é você? O que você representa? O pode sempre está onde todos pensam que eles está, Dominus Rei não é tão poderoso e sábio quanto todos pensam, mas todos acreditam que ele o é e isso basta para que ele o seja. É assim em todas a culturas e sempre será.
- Por isso que vou derrota-lo e tomar seu lugar.
- Agora percebo que você é mais débil do que pensei.
- Por quê? Acho que está tentando se projetar em mim amigo.
- Não sou seu amigo.
- Sabe que você é mais perspicaz do que Dort, mais capaz, você deveria ser Mor-Grão General do Exército do Leão.
- Hiahahah! Chega de Papo!
Artegon abre seu sobretudo revelando milhares de finas lâminas em forma de agulhas e começa dispará-las em uma velocidade tamanha que elas parecem vir como uma chuva de pingos quase invisíveis, Minus se viu impossibilitado de se defender os desviar e a grande maioria acerto-lhe, deixando todo seu corpo coberto, desde seu rosto até suas pernas, ele sentiu seu corpo dormente, o que não o impediu de correr em direção ao Artegon, mas este era muito astuto e rápido e não parava de jogar lâminas, essas eram maiores e rasgavam o rosto, os braços, o abdome e as pernas de Minus. Finalmente Minus cai.
- Não sou um simples conselheiro, sou tutor e protetor de Dorton Sevih e nunca almejei seu porto.
       Com seu corpo banhado em sangue, ele não imaginou que Artegon fosse tão forte a esse ponto. Apoiado em seu joelho esquerdo, o direito também cai, e depois ele próprio despenca no chão. Seu coração está fraco, seus batimentos, compassados... E seu coração de touro para de bater.