sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Capítulo 14


           
            Depois dois dias rumando a pé finalmente chegam à província de Prima, no coração do Reino do Sul. À entrada dois cristais rosa grandes em cima de pilares guardavam a entrada da província, andado mais um pouco e observado as casas bem construídas e com pedras preciosas, semipreciosas e cristais, os moradores de Prisma, em sua maioria, acreditam que emana uma imensa energia natural da natureza vinda da terra que é um grande ser vivo, com suas próprias dores e alegrias, assim através de cristais em suas casas essa energia seria dividida e através de filtros, ou artefatos, essa energia boa seria capturada e mantida em suas casas. O que parecia surtir algum efeito real na população, todos em Prisma eram pessoas alegres, amigáveis, hospitaleiras e muito educadas, já que se preocupavam bastante em adquirir conhecimento e cultura. Eles acreditam na crença dos Sete Deuses de que a alma deve evoluir ao máximo recebendo o máximo de conhecimento possível para chegarem ao que chamavam de iluminação absoluta, não era por acaso que o Rei Ancião, precedente de Dominus, Era de Prisma. E era em prima que se encontrava a maior biblioteca pública dos Cinco Reinos, aqui vinham Druidas, Bruxos, Alquimistas, Chamans, Historiadores e pesquisadores de forma geral. São milhões de livros de milhares de autores, com publicações raras e muito antigas que são mantidas em locais secretos com ambiente controlado ao máximo para a preservação das obras.
Toda Sociedade Celita, da qual derivou o povo dos Cinco reinos, tem sua história descrita na biblioteca de Prisma, mas em são poucas as províncias em que as pessoas se preocupam tanto em aprender. Mesmo no Domínio da Rainha Abigail, A Rainha Coruja, que é o Reino mais organizado, livre de guerras, com uma economia quase independente, o amor ao saber não é tão visível quanto em Prisma. Pessoas às ruas tocam instrumentos musicais como liras, arpas, cítaras, flautas e muitos outros, há inclusive um grupo de pessoas, chamado Orquestra de Prisma, que iniciou um movimento juntando vários instrumentos para tocar a mesma música, o que é muito bem aceito e por todos da província, mobilizando até estrangeiros que vem aqui para vê-los tocar todos os dias ao pôr-do-sol à frente da biblioteca de Prisma sem nenhuma contribuição, já que ninguém cobra por oferecer arte, tocam para os Deuses da Vida e não para os homens, bem como os poetas, pintores, escultores e todos artistas que são mantidos pelos impostos pagos a Dominus Rei, o que foi instituído por ele através de uma decreto, caso contrário seria provável que o Rei Gordon não aceitasse sustentar os artistas já que ele é mais preocupado com guerra do que com arte, mas não pense que Gordon é um troglodita boçal, para se tornar Rei é preciso mais do que força, poder ou persuasão, Gordon é extremamente sábio, apesar de ele ser conhecido por agir deliberadamente, ele já fez importantes decisões que contribuíram para o rápido desenvolvimento do Reino do Sul, e é o mais inteligente estrategistas dos Cinco Reinos.
Ao som da orquestra de Prima os Cinco companheiros determinados entram na biblioteca para, como já sabemos, tratar da estratégia para derrubar o Rei Gordon, o que parece mais difícil agora que conhecemos um pouco mais o Rei Leão, certo?




0 comentários:

Postar um comentário